Guia do alinhamento e balanceamento de caminhão: como garantir a sua segurança?

7 minutos para ler

Relacionados ao desempenho das rodas e dos pneus, alinhamento e balanceamento de caminhão são procedimentos de manutenção preventiva essenciais para a segurança dos motoristas, dos ocupantes e de terceiros que transitam pelas ruas e rodovias.

Ainda que a quilometragem indique o momento certo de levar o veículo à oficina para fazer esses serviços, várias situações podem abreviar a ida ao mecânico. O motorista bateu a roda no meio-fio ao estacionar ou passou por um buraco na estrada e está com a dirigibilidade comprometida? Certamente, a sua máquina precisa de ajustes.

Pensando nisso, elaboramos este guia com tudo sobre alinhamento e balanceamento de caminhão. Continue a leitura do nosso post.

O balanceamento

Além da limpeza, do abastecimento com combustível e da manutenção de rotina, como troca de fluidos e filtros, é necessário cuidar de outras demandas, como o balanceamento. Muita gente o confunde com o alinhamento porque, normalmente, eles são realizados juntos, mas as aplicações são diferentes, embora lidem com rodas e pneus.

O balanceamento nada mais é do que compensar ou equilibrar o excesso ou a má distribuição de forças nos pneus. Quando essa combinação está desequilibrada, como uma massa de um quilo a mais em uma das rodas, o deslocamento e a rotação são feitos em eixos diferentes, comprometendo a dirigibilidade do caminhão. Para gerar equilíbrio, são utilizados contrapesos nas rodas mais leves.

Sinais de desbalanceamento

Ao atingir 70 km/h, o caminhoneiro notará desconforto e trepidações na condução do veículo. Quando há desbalanceamento, existem outros problemas, como perda de tração, instabilidade, desgaste irregular nas bandas de rodagem dos pneus, dificuldades de manter o caminhão em linha reta e desgaste de amortecedores, rolamentos e terminais de direção.

A variabilidade de pesos é comum nos componentes de um veículo e isso pode refletir em algumas rodas e nos pneus, sendo uns mais pesados que os outros. Isso pode vir de fábrica, bem como pode ser originado por uma roda amassada ou por desgastes de uso, por exemplo. Além disso, o peso instalado no componente pode se desprender por alguns motivos, como ao transitar por estradas de lama ou passar em uma poça funda.

Tipos de balanceamento

Os dois tipos de balanceamento são feitos em simultâneo, em uma mesma ferramenta, e a diferença fica somente na vibração usada. Veja:

  1. estático: considera a vibração na linha vertical da roda. Nessa etapa, é detectada a necessidade de se aplicar pesinhos na parte inferior ou superior dela para nivelar a distribuição de massa;
  2. dinâmico: é o segundo procedimento. Após fixar os pesos, a roda estará nivelada em volume, mas ainda pode vibrar caso as novas cargas não estejam bem posicionadas. Nesse caso, será analisado se os pesos ficarão na parte interna ou externa da roda.

O alinhamento

Um serviço de manutenção que parece simples, mas que merece um cuidado especial na hora de conservar o desempenho do caminhão é o alinhamento, que é muito mais do que identificar se o volante está alinhado ou se não há trepidação na carroceria. Esse procedimento exige experiência do mecânico para restaurar irregularidades que prejudicam a performance de um bruto. Confira o passo a passo:

  • a primeira coisa a ser avaliada é o estado dos pneus. Caso estejam desgastados, é feita a troca imediata para garantir a eficiência do alinhamento;
  • a barra de direção e os terminais são inspecionados antes de iniciar o nivelamento a fim de detectar desgastes prematuros que comprometem o desempenho do veículo;
  • outro sistema que não pode ficar de fora é a suspensão, pois ela suporta todo o peso do caminhão. Nessa etapa, é feita a verificação das molas, avaliando se estão esticadas, endurecidas ou quebradas. É importante checar os amortecedores, que precisam levantar e abaixar com rapidez;
  • é hora de fazer o alinhamento para que o caminhão seja guiado em linha reta sem grande esforço por parte do condutor. O balanceamento entra para complementar o serviço, pois equilibra a estrutura das rodas e dos pneus, evitando gastos extras com a manutenção corretiva.

Graças à tecnologia, existem algumas modalidades de alinhamento que podem ser realizadas no seu veículo, como:

  • óptico: é o tipo mais popular de todos, sendo realizado com o auxílio de lasers presos às rodas. Ou seja, raios de luz apontam para uma régua, que mostra o nível de desalinhamento do veículo;
  • computadorizado: sensores são instalados nas rodas e enviam informações de alinhamento para um software de computador;
  • 3D: é a ferramenta mais recente da atualidade. Nele, os sensores também são utilizados, mas são complementados com câmeras que reproduzem o caminhão em 3D em uma tela. É a modalidade mais eficaz, pois identifica desalinhamentos e faz simulações.

Para constatarem se o alinhamento foi feito corretamente, muitas concessionárias ou oficinas contam com um scanner de detecção, uma ferramenta capaz de coletar informações em tempo real sobre o funcionamento do sistema, identificando possíveis falhas.

Os outros cuidados a tomar com as rodas e os pneus

Por estarem sempre em contato com o piso, rodas e pneus sofrem diversos impactos e trepidações. Logo, além de alinhamento e balanceamento de caminhão, existem outros procedimentos que devem ser providenciados.

Calibragem

A calibragem deve ser providenciada a cada 15 dias, ou antes de fazer viagens de longa distância, por exemplo. O ideal é adicionar a pressão indicada pela fabricante, que pode alterar conforme o peso da carga transportada.

Essa recomendação fica em alguma parte do veículo (como nas frestas das portas) ou no manual do proprietário. Lembrando que o processo deve ser realizado com os pneus frios, a fim de garantir uma boa pressurização.

Rodízio

Outro serviço necessário é o rodízio de pneus, trocando os da frente pelos de trás e vice-versa. Também é possível fazer a troca no formato “x”, no qual um pneu dianteiro do lado direito é trocado com um pneu traseiro do lado esquerdo. É preciso avaliar o estado de cada um para não comprometer a direção e a estabilidade do bruto.

O momento de fazer alinhamento e balanceamento de caminhão

A recomendação principal é alinhar e balancear a cada 10 ou 15 mil km rodados, porém é importante fazê-los após trocar ou reparar os pneus, consertar a câmara de ar, desmontar a roda e, claro, quando os sinais forem detectados, como instabilidade na condução e trepidações repentinas.

Para evitar dores de cabeça, como você viu, alinhamento e balanceamento de caminhão precisam fazer parte do calendário de revisões da sua frota, além de contarem com o auxílio de profissionais especializados em veículos de grande porte. Ao providenciar esses ajustes, você garantirá a segurança do motorista e da carga transportada, que pode ser entregue antes do prazo e satisfazer à clientela.

Se você curtiu este material e quer acompanhar as novidades sobre caminhões e gestão de frotas, curta nossas páginas no Facebook: Cavese, Suvesa e Codema.

suvesa mercado shops
Você também pode gostar

3 thoughts on “Guia do alinhamento e balanceamento de caminhão: como garantir a sua segurança?

  1. Importante estes informações sobre o alinhamento e balanceamento das rodas em especial o km nescessário bora se realizar esta manutenção.grato

  2. Parabéns pelo excelente material informativo. É muito importante conscientizar os usuários de caminhões destas manutenções importantes para um item caro, chamado pneu.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.