Caminhão a gás: saiba mais sobre essa opção

7 minutos para ler

As fontes de energia derivadas do petróleo, como a gasolina e o diesel, têm sofrido aumentos significativos no seu preço nas últimas décadas por conta do encarecimento da produção petrolífera. Dessa forma, várias empresas no setor de transporte têm buscado investir em novas tecnologias relacionadas ao uso de fontes de energia alternativas, como é o caso do gás natural. Nesse caso, vale citar o desenvolvimento da engenharia voltada aos modelos da linha pesada.

No atual mercado de caminhões, já é possível encontrar vários modelos movidos a gás e que têm um bom desempenho e economia de combustível. Essa vantagem é de grande relevância para as empresas que possuem uma frota de veículos, pois o gasto com combustível é um ponto que pode comprometer parte dos lucros gerados pelas atividades de frete. 

Sendo assim, é muito importante saber mais sobre como funciona esse tipo de tecnologia e como andam as ofertas de modelos no mercado. Caso você não entenda sobre esse tema, preparamos este artigo contendo as principais informações. Continue a leitura e fique por dentro de tudo!

Qual o cenário de fontes energéticas no Brasil?

Podemos começar dizendo que a relevância do diesel no transporte de cargas do país está ligada a uma logística de escoamento de produtos e serviços baseada no uso do modal rodoviário, pois há uma maior limitação da malha ferroviária, bem como da infraestrutura dos outros modais.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP, 2020), o diesel consumido no país somou pouco mais de 57 bilhões de litros. Vale destacar que desse total tivemos uma dependência externa de 29% em 2019. 

Fazendo uma análise ampla sobre o uso de combustíveis não renováveis no Brasil, tem-se que nas últimas décadas houve o crescimento da renda da população, bem como a disponibilização de taxas de juros mais baixas para a compra de veículos e o oferecimento de novas linhas de créditos visando favorecer a aquisição de ônibus e caminhões, o que aumentou a circulação de veículos de passeio e de carga.

Consequentemente, intensificou-se a demanda por combustível no país, afetando as condições de suprimentos no mercado de combustível. Ou seja, a capacidade de refino não foi capaz de acompanhar o ritmo de consumo do derivado, fazendo com que o preço do combustível ficasse mais alto ano após ano. Por conta disso, começaram a surgir várias ideias relacionadas à diversificação de meios de produção energética. 

A substituição do diesel pelo gás natural e de outros recursos energéticos pode representar uma resposta positiva para a anunciada crise de abastecimento de combustível relacionado a linha de veículos pesados. Lembrando que o Brasil, embora seja deficitário em diesel, caminha para ser superavitário em gás. Quanto às suas formas, o gás natural pode ser fornecido como Gás Natural Comprimido (GNC) ou Gás Natural liquefeito (GNL). 

Como funciona o caminhão a gás?

A alternativa que vem ganhando investimento por algumas empresas de veículos pesados é o Gás Natural Veicular (GNV), que já é bastante utilizado em carros de passeio. Resumidamente, o GNV é obtido por meio de reservas e processos naturais constituídos no subsolo. Em sua estrutura, podemos acrescentar que o gás natural é formado principalmente por carbono e hidrogênio. 

Com a conservação em temperatura ambiente e sob pressão atmosférica, ele fica em estado gasoso, podendo ser aproveitado como combustível. Dessa forma, o veículo pesado que é movido a gás é desenvolvido especialmente para as condições do GNV, bem como outros tipos de gases, como é o caso do biometano e do gás natural liquefeito GNL. 

Quanto à funcionalidade desse tipo de motor, a base de operação se dá pelo ciclo Otto e velas de ignição, como é encontrado em outros veículos de combustão interna. A diferença é que no caso dos caminhões movidos a gás há um sistema de segurança específico para atender as peculiaridades da substância, que fica armazenada em cilindros, podendo o processo ser tão ou mais seguro do que aquele que ocorre com veículos movidos a diesel. 

Quais são os próximos desafios do caminhão a gás no país?

Mesmo que o gás natural já esteja sendo utilizado em veículos populares e existam perspectivas positivas quanto à viabilização de projetos de fabricação de caminhões, ainda é possível visualizar alguns desafios e barreiras que podem comprometer a ampla instalação dessa fonte de energia na malha rodoviária. 

Como primeiro fator, podemos citar os custos desse tipo de veículo, pois eles ainda estão com preços acima dos demais modelos devido aos processos e etapas de fabricação, bem como à baixa presença no mercado. Somado a isso, para que esse recurso se torne bem-sucedido, é necessária a viabilização de mais pontos de abastecimento para os veículos a gás, visando atender à demanda de todos os serviços que contam com essa fonte energética. 

Vale ressaltar que o principal motivo que dificulta a popularização dessa tecnologia diz respeito ao seu alto custo de fabricação. Por isso, é fundamental contar com incentivos fiscais por parte do governo e investimentos no setor, visando possibilitar maior instalação das fábricas no Brasil e garantindo uma produção mais acessível.

Como a Scania vem superando diversos desafios e por que oferece uma ótima opção?

Apresentando a venda de 400 caminhões movidos a gás natural ou biometano, a empresa Scania tem avançado em seu propósito de fornecer ao mercado caminhões que proporcionam a diminuição da dependência de combustíveis fósseis, bem como a minimização de emissões de gases do efeito estufa. Tendo em vista uma das negociações recentes que estará completa ainda em 2022, a Scania teve uma relação de vendas de 124 caminhões do gênero para a Reiter Log.

Em 2019, a Scania se inspirou no mercado europeu e lançou o conceito do veículo a gás natural na Fenatran, chamando a atenção do setor de transporte. Já em 2020, 6% de todas as vendas globais da Scania foram da tecnologia a gás, chegando a quase 5 mil unidades entre caminhões e ônibus. Com isso, percebe-se uma grande participação da empresa na viabilização de veículos a gás no país.

Essas foram as principais informações acerca do crescimento do mercado de caminhão a gás. Percebe-se que essa tecnologia veio para colaborar com a economia de combustível das empresas de transporte, bem como ajudar a minimizar a eliminação de resíduos poluentes no ar, sendo uma opção válida para você investir em sua empresa.

Gostou do artigo? Então compartilhe este conteúdo em suas redes sociais para que outras pessoas possam ficar por dentro do tema!

suvesa mercado shops
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.