Caminhões para transporte florestal: saiba mais sobre essa solução

6 minutos para ler

Em crescimento na economia nacional, o setor madeireiro está sempre em busca de novas soluções para agregar eficiência, desempenho e confiabilidade às suas operações. Por isso, desenvolvemos este artigo para falar desse mercado, detalhando as principais características dos caminhões para transporte florestal.

Como perceberá durante a leitura, esse é um nicho tão rentável quanto inexplorado por muitos caminhoneiros e frotistas autônomos. Então, não perca a oportunidade de descobrir mais sobre o tema, conhecendo os desafios, requisitos e oportunidades desse segmento. Vamos lá!

O mercado de transporte de madeira no Brasil

Sendo um leitor de carteirinha do nosso portal, você já deve estar acostumado com a nossa paixão por precisão e objetividade. Por isso, elaboramos este conteúdo em parceria com um especialista do setor madeireiro, Ivandel de Moraes Oliveira, profissional administrativo da Righez Madeiras.

Dessa forma, garantimos a qualidade das informações apresentadas, argumentando com a ajuda dos comentários e observações de quem tem experiência nesse mercado. Agora, vamos ao tema! Afinal de contas, qual a importância desse setor na economia brasileira?

Bem, primeiro, vale lembrar que o Brasil é um dos principais protagonistas desse mercado, sendo o 4º maior produtor de celulose no mundo e, por isso, um enorme produtor de florestas plantadas — algo fundamental para o equilíbrio entre a extração e a sustentabilidade do segmento.

Por consequência, toda essa produção precisa ser escoada — e é aqui que o setor logístico entra em cena! Comentando sobre o tema, Ivandel observa que o transporte madeireiro tem uma enorme importância econômica, justamente porque “a construção civil e o mercado externo têm fomentado esse segmento”.

Em seguida, ele explica que por conta dessa demanda, o transporte de madeira vem ganhando cada vez mais destaque, já sendo “reconhecido como um dos principais transportes do Brasil”, entre as várias outras modalidades. Por fim, também é importante notar as principais regiões beneficiadas pelo setor.

Hoje em dia, o sul de Santa Catarina tem grande predominância nesse mercado, pois conforme Ivandel explica, a região “concentra grande parte da área florestal e madeireiras”, contribuindo significativamente para a economia do estado. Mas isso não é tudo, pois ainda existem outras condições que ajudam no desenvolvimento do setor, como por exemplo:

  • grande número de profissionais técnicos e acadêmicos em áreas da engenharia florestal;
  • território extenso e otimizado para uma produção cíclica e sustentável;
  • grande malha de frotas e profissionais autônomos para o transporte;
  • investimentos em pesquisa e desenvolvimento, criando, importando e exportando tecnologias, conceitos e estudos importantes para o desempenho dessa indústria.

A perspectiva de crescimento desse mercado nos próximos anos

Assim como em outro setor, a indústria madeireira também depende de alguns fatores externos às próprias empresas. Afinal, o segmento florestal conta com muitas burocracias e tecnicalidades, o que é importante para a configuração do setor.

Pois veja, falamos de um ambiente econômico altamente ligado com a manutenção ambiental, e por esse motivo, é sempre importante encontrar um equilíbrio entre a produtividade econômica e a preservação ecológica. No entanto, existe um obstáculo que realmente prejudica o mercado nacional: a infraestrutura.

Nessa questão, Ivandel é categórico, explicando que as estradas “ainda são um dos principais entraves para escoar nossa produção”. E aqui, ele não fala apenas das irregularidades do asfalto. Na visão do especialista, “as rodovias são desafiadoras pois ainda falta infraestrutura, como acostamento, ponto de parada, terceiras pistas, pistas duplas, sinalização” e afins — todos pontos fundamentais para a segurança.

Caso solucionadas, todas essas questões trariam benefícios para o setor madeireiro, pois facilitaria o aumento da produtividade, com um escoamento ainda mais rápido, eficiente e barato. Para além da infraestrutura, Ivandel também destaca alguns desafios econômicos desse setor: os custos operacionais.

Aqui, o especialista define como custo principal “o combustível, seguido por pneus e a manutenção do veículo”. No fim das contas, ele avalia que esses gastos “ficam com boa parte do orçamento do transporte”. Por último, mas também importante: o futuro desse mercado.

Como destacamos ao longo do texto, esse é um segmento que depende da administração pública. Por isso, Ivandel observa que a perspectiva do setor “vai de encontro com a administração dos nossos governantes, pois dependemos do aquecimento da construção civil e da exportação para que esse mercado siga aquecido nos próximos anos”.

As particularidades dos caminhões para transporte florestal

Como pode imaginar, os caminhões são peças fundamentais nessa cadeia produtiva. Por isso, é essencial que as máquinas sejam competentes nas operações de transporte. Questionado sobre o tema, Ivandel destaca que “uma das principais características é o bom estado do veículo”.

Ainda que isso também seja importante nas outras modalidades, no setor madeireiro isso é ainda mais importante. Aqui, o especialista explica que a confiabilidade mecânica é crucial “para que se consiga cumprir o contrato de entrega sem atraso, mantendo o compromisso firmado com o cliente”.

Além disso, o transporte de madeira também é bastante estatístico e econômico. Por isso, a escolha do caminhão ideal deve obedecer aos mesmos critérios, com a seleção de veículos altamente eficientes, com baixo consumo de combustível, alta autonomia, segurança e durabilidade mecânica.

Aqui, Ivandel aproveita para destacar que, na Righez Madeiras, 70% de sua frota é composta por modelos Scania, justamente por esses caminhões entregarem todas as qualidades necessárias ao setor, exigindo baixa manutenção, consumindo pouco e oferecendo conforto para os motoristas. Inclusive, ele destaca que “a economia de combustível e a baixa manutenção são os principais pontos para que as compras futuras sejam da marca”.

A atuação da Righez Madeiras nesse mercado

Agora, é momento de apresentar a Righez como uma referência em seu setor. Para isso, Ivandel comenta que “a Righez Madeiras atua no mercado de construção civil e exportação, com uma frota própria para o transporte da floresta até a empresa e mescla entre frota própria e terceirizada para a entrega ao cliente no seu produto final”.

No DNA da empresa, existe uma enorme preocupação com a satisfação do consumidor. Sobre isso, Ivandel explica que a “empresa tem como diferencial manter sempre em dia nossos pedidos, entregando qualidade aos nossos clientes e fortalecendo os vínculos de parceria com quem busca nossos produtos”.

E aí, você gostou deste conteúdo especial sobre a realidade desse mercado e dos caminhões para transporte florestal? Então, aproveite a chance para conscientizar seus colegas sobre o tema, compartilhando este artigo nas suas redes sociais!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.