Saiba como fazer a manutenção de caminhão quando se está na estrada

6 minutos para ler
spotify scaniaPowered by Rock Convert

O transporte rodoviário é um dos principais meios de deslocamento de cargas no Brasil. Com isso, o caminhão torna-se o recurso principal para a promoção de fretes nas várias regiões brasileiras.

Devido à grande extensão territorial do país, esses veículos muitas vezes trafegam por longas distâncias e enfrentam situações adversas na estrada. Nesse caso, em se tratando dos desgastes e dos danos causados pelo uso do caminhão, é fundamental que o proprietário entenda a importância da manutenção de caminhão.

Esse procedimento tem por finalidade manter a máquina operando com 100% de sua eficiência por meio da troca e da substituição prematura de peças e componentes dos sistemas mecânicos que eventualmente poderiam apresentar algum problema. Dessa forma, é possível gerar uma maior produtividade nos trabalhos, economia ao evitar gastos maiores com reparações, além de poder prolongar a vida útil dos elementos mecânicos.

Por isso, é fundamental enfatizar que os proprietários de frota devem compreender como realizar essa tarefa, até mesmo quando se está na estrada, já que as longas e exaustivas viagens exigem que o motorista efetue a inspeção do estado do veículo regularmente. Para que você possa entender melhor sobre esse tema, preparamos este artigo contendo as principais dicas. Acompanhe!

Tenha o histórico de manutenção

A primeira dica que podemos citar sobre a manutenção de caminhão quando se está na estrada é conhecer bem o histórico de manutenções realizadas nos últimos meses e anos. A esse respeito, vale lembrar que as revisões preventivas têm uma grande importância. Elas possibilitam que os proprietários tenham uma melhor conservação do veículo por meio de intervenções programadas dos principais sistemas mecânicos do caminhão, de forma a antecipar a correção de problemas futuros.

Isso permite economizar com reparações derivadas de desgastes maiores, além de manter a máquina operando com sua máxima capacidade e com eficiência. Então, você deve estar se perguntando: “O que o histórico de manutenção tem a ver com isso?”. Simplesmente, ele ajuda a definir quais componentes precisam de uma revisão, já que demonstra qual foi a última vez que foi revisado, o que contribui significativamente para uma boa revisão preventiva.

Respeite a indicação do fabricante

As indicações e recomendações do fabricante são informações de grande relevância para os gestores de frota. Isso porque elas permitem conhecer a fundo a capacidade e a performance do veículo para diversas funcionalidades. Por meio do manual, você encontra as peculiaridades e os detalhes mínimos, mas que fazem total diferença para a produtividade e para o desempenho do veículo de acordo com o uso do caminhão.

Por isso, mesmo que os profissionais caminhoneiros apresentem suas noções e experiências sobre a condição do veículo, os gestores devem completar a informação repassada pelos motoristas com os dados e parâmetros disponibilizados pelo fabricante. Com isso, é possível saber até onde se pode exigir da máquina e quais os principais cuidados que devem ser tomados para garantir uma maior vida útil aos componentes.

Saiba verificar o óleo do motor

Outro item que pode ser considerado de vital importância para o bom funcionamento do caminhão é o fluido de óleo. Isso porque esse componente tem a função de lubrificar todas as peças internas do veículo, evitando, assim, o desgaste prematuro das partes deslizantes. Caso não haja essa revisão, o proprietário pode acabar por precisar lidar com problemas, como a fundição do pistão, anéis e cilindro devido ao contato direto entre as partes metálicas.

Por conta disso, você deve ficar atento à condição do óleo em todos os momentos de manutenção, até mesmo quando estiver na estrada. Sua troca é relativamente simples, sendo que você pode avaliar a qualidade do óleo por meio da vareta de inspeção. Nesse momento, aspectos, como viscosidade e cor do produto, devem ser averiguados para saber se será preciso trocá-lo antes do período recomendado pelo fabricante.

Lembrando que, em média, o aconselhado é realizar a troca de óleo a cada 15 mil quilômetros rodados. Entretanto, esse valor pode ser alterado conforme a demanda e a condição de uso pelo proprietário. Vale lembrar que, caso o óleo esteja bem abaixo do normal, você também deve verificar se não há a presença de vazamentos.

Observe os pneus

Os pneus também são bastante importantes no momento de realizar a manutenção. Por estarem em contato direto com o solo, influenciam vários fatores. O primeiro que podemos citar está relacionado à economia de combustível. Isso porque, ao rodar com pneus com calibragem abaixo do ideal, acaba havendo uma maior resistência de rotação do pneu com a pista, o que gera a elevação de esforço do motor e, em consequência, um maior gasto de combustível.

Outro problema ocasionado pela não revisão desse item é a baixa eficiência do caminhão na rodovia. Esse fato é provocado ao rodar com pneus desgastados. Isso gera uma menor aderência no asfalto, dificultando manobras e o controle em curvas, o que potencializa as chances de acidentes. Para evitar esses e outros entraves, é fundamental que os proprietários incluam a vistoria dos pneus em sua rotina de manutenção.

Como base, é recomendado efetuar a troca a cada 60 mil quilômetros rodados, mas, como já citado, os valores de recomendação podem sofrer alterações de acordo com a característica de uso do veículo. Outra dica é trocar todos os pneus de uma vez, pois o desgaste desigual dos componentes pode interferir na eficiência de condução do veículo.

Procure a origem de ruídos e vibrações

Por fim, também devemos falar sobre alguns indicativos que podem contribuir bastante para uma boa revisão do veículo. O primeiro é os ruídos produzidos quando o caminhão está em funcionamento. Eles auxiliam a identificar quais componentes, peças e sistemas podem apresentar algum tipo de avaria. Outro indicativo tem relação com as vibrações que são produzidas na estrutura do veículo.

Em condições normais, o caminhão deve apresentar o mínimo de vibrações, já que esse evento pode estar ligado a vários tipos de defeitos nas peças mecânicas. Dessa forma, ao realizar uma manutenção na estrada, procure a origem desses fatores. Isso poderá te ajudar a identificar um defeito ou até mesmo intervir no início de um problema.

Portanto, essas foram as principais dicas sobre como fazer a manutenção de caminhão quando se está na estrada. Vale lembrar que as revisões preventivas na frota devem ser algo de rotina em sua empresa para, com isso, evitar problemas na estrada.

Gostou do artigo? Então, confira também o nosso post sobre os tipos de manutenção necessários para a sua frota!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.