Mulher caminhoneira: os desafios e as quebras de barreiras

6 minutos para ler
spotify scaniaPowered by Rock Convert

Taxada como uma profissão masculina, a função de caminhoneiro, por muito tempo, foi dominada pelos homens. Contudo, esse cenário tem ficado cada vez mais no passado, já que muitas mulheres têm optado por enfrentar o preconceito e trabalhar naquilo de que gostam, tornando-se, assim, motoristas profissionais. Apesar de isso já ser uma conquista que merece ser comemorada, ainda existem muitos desafios que precisam ser superados. 

Sabendo disso, preparamos este artigo para apresentar para você os principais desafios que a mulher caminhoneira enfrenta nas estradas nos dias de hoje. Continue a leitura!

Um novo cenário em vista

Mesmo que essa função seja considerada majoritariamente masculina, as mulheres têm conquistado o seu espaço nesse segmento de forma gradativa. Prova disso é que o número de motoristas femininas consideradas aptas para conduzirem um veículo de grande porte ultrapassa os 153,8 mil, sendo que a maior parte desse numero está concentrada no estado de São Paulo, com um pouco mais de 124 mil caminhoneiras.

Apesar de ainda ser baixa a quantidade de mulheres atuando nessa função, quando comparada com a quantidade de homens atuando na mesma profissão, a expectativa é de que esse número aumente ainda mais com o passar dos anos. Isso porque muitas empresas têm percebido as vantagens de contratar profissionais femininas.

Vale ressaltar que, após a realização de diversas pesquisas, foi comprovado que as mulheres dirigem melhor do que os homens. Os dados mostram que 70% das infrações de trânsitos são causadas por eles. Além disso, 65% dos homens têm o hábito de avançar o sinal amarelo, enquanto que, entre as mulheres, essa porcentagem cai para 15%. Outro dado importante que foi utilizado para chegar a essa conclusão é que 71% dos acidentes de trânsito são provocados pelo sexo masculino.

Diante disso, é possível perceber que sim, as mulheres são mais cautelosas e, por isso, adotam uma postura prudente quando estão no volante. É por esses e outros motivos que muitas empresas têm visto a contratação de caminhoneiras como uma opção vantajosa.

Os desafios que precisam ser vencidos

A luta por melhores condições e por mais respeito no ambiente de trabalho é considerada uma das principais batalhas que as mulheres enfrentam nos dias de hoje. Nos segmentos dominados pelo sexo masculino, como a direção de caminhões, esse desafio ganha uma proporção ainda maior.

Por esse motivo, separamos, aqui, os principais desafios que elas enfrentam quando decidem atuar nessa área. O objetivo é tornar públicos esses problemas para que as empresas possam criar medidas que solucionem essas dificuldades. Então, confira cada um deles!

Preconceito

Infelizmente, o preconceito é bastante visível nesse ambiente, seja por parte dos colegas de profissão, seja por parte da própria sociedade. Independentemente da sua origem, as empresas precisam estar cientes de que esse problema existe e buscar meios de combater esse prejulgamento.

Na maioria das vezes, o preconceito se manifesta em ações que colocam em dúvida a capacidade que as mulheres têm de conduzir um veículo de grande porte. Ou quando a preferência da vaga é direcionada para os homens baseando-se no critério de que as mulheres não dão conta do serviço.

A verdade é que, assim como os homens, as mulheres também dão conta do recado e, por isso, podem conduzir um veículo pesado. Por esse motivo, muitas montadoras, como a Scania, não só apoiam a causa, mas também têm buscado desenvolver caminhões pensando no público feminino.

Necessidade de mostrar sua capacidade o tempo inteiro

Apesar de muitas empresas valorizarem o trabalho da mulher, existem aquelas que, infelizmente, colocam em dúvida a capacidade que elas têm de atuar na área. Essa necessidade de mostrar constantemente que são capazes de atuar na profissão está diretamente relacionada à falsa ideia de que ser caminhoneira não é profissão para mulheres.

Diante disso, além das dificuldades naturais do ofício, algumas empresas exigem que as caminhoneiras provem diariamente, para a sociedade, para a família e para os colegas de trabalho, que podem exercer essa função tão bem quanto os homens.

Assédio

Presente na maioria dos ambientes de trabalho, o assédio é outro grande desafio que precisa ser superado. Nesse caso, é importante que você, como gestor, adote uma filosofia que seja contra esse tipo de ação. Ainda mais quando se trata dessa profissão em particular. Isso porque, na maior parte do período de trabalho, essas mulheres estarão sozinhas.

Isso significa que situações envolvendo assédio se tornam bastante comuns ao longo da carreira profissional dessas mulheres. Por esse motivo, é importante prepará-las sobre como agir em momentos como esses, de maneira que seja incentivada a denúncia dessa prática, já que o assédio é considerado crime e deve ser denunciado.

Além disso, por se tratar de um assunto sério, a divulgação de campanhas para proteger as mulheres nas estradas e durante as paradas é essencial para educar os caminhoneiros acerca da importância de respeitar suas colegas de profissão.

Muitas empresas já têm atentado para esse assunto e, por isso, têm buscado formas de valorizar o trabalho feminino nessa área. Prova disso é a competição do Melhor Motorista de Caminhão do Brasil ou (Scania Driver Competition), organizada pela Scania, que incentiva cada vez mais as mulheres caminhoneiras a competirem.

Além disso, o desenvolvimento de projetos focados em datas comemorativas, como Dia da Mulher, Dia das Mães e Outubro Rosa, também faz uma grande diferença na valorização das mulheres caminhoneiras.

Falta de infraestrutura adequada para as mulheres

Para alguns, pode parecer algo insignificante, mas a falta de uma infraestrutura adequada para essas profissionais é outro problema que merece atenção. Isso porque a falta de banheiros femininos nos postos de combustíveis à beira das estradas e a escassez de hospedagens refletem bem a realidade precária à qual muitas caminhoneiras precisam se submeter para continuar exercendo sua profissão.

A falta de infraestrutura nas estradas também contribui para o aumento do medo de muitas mulheres quando estão trabalhando sozinhas. Isso porque existe a possibilidade de que o caminhão quebre na estrada e de que seja necessário recorrer à ajuda de terceiros.

Portanto, percebemos que a inclusão do público feminino nesse ambiente de trabalho já é uma conquista que merece ser comemorada. No entanto, ainda falta realizar muitas mudanças para que a mulher caminhoneira sinta que o seu trabalho está sendo realmente valorizado e respeitado pela sociedade e pelos colegas de profissão.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre a vida de caminhoneiro? Então, assine a agora mesmo a nossa newsletter.

Você também pode gostar

5 thoughts on “Mulher caminhoneira: os desafios e as quebras de barreiras

    1. Olá, Mariana. Tudo bem?

      Verdade Mariana, as mulheres precisam ganhar mais espaço, não só no mercado do transporte, mas em todas as áreas.

      Obrigado por comentar aqui em nosso blog.
      Continue acompanhando a gente.

      Abraço

  1. Olá boa tarde!
    Maravilhosa essa matéria, parabéns mesmo, por mostrar os desafios das mulheres guerreiras nas estradas!
    Eu gostaria muito de saber sobre empresas que contra mulher pra motorista no Rio de janeiro, se alguém souber, por favor, me avisem aqui, fico grata!!!!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.