O que é necessário para ter mais segurança nos ônibus rodoviários?

7 minutos para ler

Pessoas viajam o tempo todo para conhecer lugares novos, trabalhar ou até mesmo visitar parentes que moram longe. Muitas preferem viajar de avião para economizar tempo, mas tantas outras optam pelo transporte rodoviário. Logo, é preciso que as empresas invistam fortemente em segurança nos ônibus rodoviários.

Essa opção costuma ser mais econômica e viável para viagens de curta duração — por exemplo, aquelas feitas para cidades ou estados próximos. Já conhecemos normas de segurança que fazem parte da nossa vida, como a utilização do cinto de segurança para todos os passageiros.

Neste artigo, então, vamos descobrir quais são os outros itens necessários para reforçar a segurança de todos os indivíduos. Continue a leitura!

Cinto de segurança: item que não pode faltar

Há muitas vantagens no uso do cinto de segurança nos ônibus rodoviários que justificam a razão da importância desse item. Eles salvam vidas, e isso é um fato comprovado por inúmeros estudos e pesquisas. Além disso, eles mantêm os passageiros no assento durante todo o percurso, evitando que sejam jogados para as janelas ou para o corredor do veículo.

A maioria das pessoas não percebe que pequenos acidentes podem causar impactos de grande tensão no corpo, que podem, inclusive, resultar em situações mais graves se os cintos de segurança não forem usados. Como os carros, os ônibus podem ser multados caso os passageiros não estejam respeitando as normas de segurança. O uso do cinto está previsto em lei e deve ser rigorosamente observado.

Afinal, estamos tratando de um equipamento que pode salvar vidas, como dito. Por essa razão, é muito importante que todos os passageiros o utilizem. Não importa se a viagem tem duração de duas ou quatro horas, acidentes acontecem quando as pessoas menos esperam. Sendo assim, é recomendado se precaver para diminuir os riscos de ferimentos graves e até da morte.

Programa eletrônico de estabilidade: maior segurança para os motoristas

Após o cinto, o programa eletrônico de estabilidade é o segundo item de segurança mais importante. Os princípios de segurança automotiva se concentravam na redução da probabilidade de ferimentos ou de mortes de passageiros durante uma colisão. Isso foi nos últimos anos, já que, atualmente, esse universo tem um novo foco nesse âmbito, que é a prevenção de colisões.

O programa eletrônico de estabilidade é o primeiro sistema de segurança que auxilia no controle direcional. Ele foi desenvolvido junto aos sistemas de travagem antibloqueio. Além disso, é um dos primeiros sistemas de segurança a ajudarem no controle de velocidade. Esse programa começou a ser utilizado em 1995, e todos os veículos fabricados a partir de 2011 devem tê-lo.

Esse programa funciona controlando a frenagem e a velocidade das rodas. Desse modo, evita que o veículo faça curvas mais rápido ou mais devagar do que o motorista está dirigindo. Em outras palavras, esse sistema consegue detectar se o condutor está perdendo o controle e aplica uma combinação de frenagem em algumas rodas para recuperá-lo.

Controle de tração: sistema para controlar o veículo e evitar acidentes

O sistema de controle de tração foi desenvolvido para evitar ou limitar o escorregamento das rodas nas estradas ou em superfícies escorregadias — isso pode acontecer especialmente em dias chuvosos. Assim, aceleração e sensores do sistema detectam a velocidade de cada roda. Essa é uma função adicional do programa de estabilidade e é comum que esses sistemas reduzam a potência do motor.

O controle automático de tração é ativado somente quando for constatado que a roda está escorregando. Os sensores do programa de estabilidade são usados por esse sistema. O propósito dele é detectar quando uma roda está girando mais do que as outras. Confira as principais vantagens desse item de segurança:

  • a instalação é facilitada, pois é utilizada a mesma infraestrutura do programa eletrônico de estabilidade;
  • em condições de chuva, o sistema apresenta um controle efetivo da hidroplanagem;
  • quando há algum problema durante a rotação do veículo, o sistema detecta e aciona os freios da roda para evitar acidentes.

Sistema anticapotamento: protege todo o ônibus para salvar vidas

O sistema anticapotamento de veículos serve para reduzir a força desse movimento durante esse tipo de acidente. O objetivo dessa invenção é fornecer um sistema anticapotamento de veículos para minimizar o risco de uma colisão e de ferimentos graves para motorista e passageiros.

Ele elimina o contato direto dos passageiros com a superfície da estrada, onde o veículo está capotando em uma colisão. Existe um método de detecção que identifica essa circunstância e assegura a vida dos indivíduos que estão dentro do ônibus. As vantagens do sistema durante a capotagem incluem entregar um serviço que:

  • reduza a força de capotamento;
  • minimize o risco de colisão;
  • aumente a capacidade do veículo para proteger os passageiros;
  • reduza o risco de ferimentos ou de morte dos passageiros no caso de lesões graves em uma situação de capotamento.

Volante ajustável: conforto para garantir a segurança nos ônibus rodoviários

Um volante ajustável foi projetado especificamente para tornar a direção mais fácil. No entanto, não somente para isso, mas também para permitir que o motorista tenha mais controle sobre a visão de direção. Ele funciona inclinado para cima e para baixo, dependendo das preferências de uso do condutor.

O volante ajustável começou a ser usado na década de 60 e é muito empregado até hoje na maioria dos ônibus e dos caminhões. Há diferentes modelos e eles podem ser ajustados de acordo com as necessidades do condutor — por exemplo, caso o ônibus rodoviário seja dirigido por um motorista mais alto no período da tarde e por um mais baixo durante à noite.

Desse modo, eles vão conseguir ajustar o volante para torná-lo mais confortável durante toda a viagem, aprimorando a segurança dos passageiros e garantindo mais firmeza durante as curvas, as subidas e a travessia de uma pista molhada com o veículo.

É importante também que empresas tenham uma equipe de motoristas qualificados e façam treinamentos periódicos, para evitar a possibilidade de acidentes.

Por outro lado, há cuidados que devem ser tomados pelos passageiros, como utilizar o cinto de segurança e não ficar em pé durante a viagem. Falar com o motorista e levar objetos cortantes, por exemplo, também precisa ser evitado.

Lembre-se, ainda, de garantir que as bagagens de mão sempre estejam no compartimento acima do banco. Isso, inclusive, precisa ser feito logo quando o passageiro subir no ônibus.

Seguindo essas dicas e incluindo os itens mencionados no artigo, você aumenta a segurança nos ônibus rodoviários. Companhias que cuidam da segurança dos passageiros e demonstram que estão cumprindo as normas têm maior relevância. Ou seja, elas são reconhecidas no mercado como empresas que estão preocupadas com a integridade de todos os indivíduos presentes no veículo.

Gostou dessas informações? Então, você precisa saber mais a respeito de outro tema importante. Leia agora mesmo sobre a nova geração de ônibus!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.