Chegou a hora! Veja 6 sinais para trocar de caminhão!

6 minutos para ler

Maior geração de despesas, menor eficiência logística, comprometimento da segurança da carga e dos condutores, redução da eficiência dos serviços prestados etc. — esses são apenas alguns dos muitos problemas que caminhões ultrapassados e desgastados podem provocar. Além disso, quando eles representam instrumentos de trabalho, o que é uma realidade para os proprietários de frotas, a necessidade de substituição é ainda maior.

Naturalmente, esses veículos, assim como os demais meios de transporte, têm um tempo limitado de vida útil. No entanto, não é incomum que os frotistas tenham alguma dificuldade de identificar o momento certo de fazer a renovação. Por essa razão, neste conteúdo, vamos listar alguns sinais para trocar de caminhão aos quais você precisa ficar atento. Continue a leitura e confira!

1. Necessidade de investimento em tecnologias mais atuais

O segmento de transporte se desenvolve e torna-se mais moderno a cada dia, logo, as companhias que atuam nesse setor, habitualmente, buscam acompanhar as tendências e prestar serviços mais sofisticados e cada vez mais tecnológicos. Consequentemente, aquelas que não procuram evoluir no mesmo sentido eventualmente ficarão para trás.

Sendo assim, um dos primeiros sinais para trocar de caminhão que podemos mencionar é a necessidade de manter uma frota composta por veículos mais modernos e mais eficientes, principalmente em termos de segurança e monitoramento.

Além disso, o investimento em recursos que são direcionados para a redução do consumo de combustível e para a diminuição da emissão de poluentes no ecossistema acaba por impactar positivamente o próprio rendimento da companhia, contribuindo para o seu crescimento e para o desenvolvimento, além de criar uma melhor imagem no mercado.

2. Presença de vazamentos

Certamente, os vazamentos representam um dos principais indícios da presença de problemas de alta gravidade no motor do caminhão. Por isso, ignorá-los não é uma atitude recomendada. Quando se trata de veículos de carga, os tipos mais comuns são os de fluidos de freio, os de ar, os de fluidos de transmissão e os de óleo.

Além disso, geralmente, quando o caminhão já não está em condições mecânicas adequadas, esses problemas passam a surgir com ainda maior frequência — esse tipo de situação é ainda mais recorrente no caso de frotas mais antigas, uma vez que o desgaste natural dos longos anos de utilização tem o potencial de causar rachaduras nos reservatórios, ressecamento de mangueiras e tubulações do veículo, o que acaba por ocasionar esse problema. 

Com isso em mente, ao observar que esses “inconvenientes” estão se tornando cada vez mais constantes, considere ser um indicativo de que é o momento de fazer substituições.

3. Perda de valor

Quando falamos de perda de valor, estamos nos referindo à depreciação pela qual o veículo passa no mercado se levarmos em consideração o preço de revenda. Reflita, por exemplo, sobre o valor que o caminhão retornaria hoje em caso de repasse. Agora, imagine em quanto esse número será reduzido com o passar dos anos.

Isso acontece porque, quanto mais antigo um veículo é, menor também é o seu preço de revenda no mercado. Assim, dois fatores precisam ser levados em consideração: a capacidade de recuperação da quantia investida na compra do caminhão diminuirá e, em simultâneo, naturalmente, aquela necessária para a substituição será elevada. 

4. Diminuição da performance

Considerada mais um dos sinais para trocar de caminhão, a redução da performance do veículo, mesmo quando todos os cuidados com as manutenções e a substituição de peças por componentes de qualidade são tomados, pode trazer instabilidade.

Nesses casos, é muito comum que os condutores tenham a incômoda sensação, por exemplo, de que o motor do veículo não suportará a exigência que há em trechos mais “difíceis”, o que acaba por se tornar uma grande preocupação para o profissional que atua nas estradas.

Em razão de esse tipo de entrave ser bem menos comum em modelos mais novos, a renovação da frota pode ser a decisão ideal diante desse cenário, não só diminuindo os custos excessivos com manutenções constantes e a perda de receita quando o veículo precisa ser parado para passar por reparos, mas também garantindo um desempenho superior que um caminhão desgastado pelo tempo já não é capaz de entregar.

5. Necessidade de manutenções frequentes

Aproveitando o gancho do tópico anterior, em que citamos os custos excessivos em razão de manutenções frequentes, vale dizer que esse é mais um ponto a ser considerado quando se cogita a possibilidade de substituição da frota. Isso porque os caminhões mais antigos exigem mais cuidados por parte do gestor e a alta constância de reparos pode elevar significativamente as despesas da empresa. 

Além disso, vale lembrar que, quando tratamos de veículos que já estão no limite da sua vida útil, os consertos acabam por ser apenas paliativos, de modo que, usualmente, as falhas voltam a aparecer, dificilmente sendo solucionadas em definitivo.

Isso leva o frotista a direcionar um montante de dinheiro considerável para “resolver” temporariamente um mesmo problema repetidas vezes. Sendo assim, em longo prazo, a renovação da frota — apesar de representar, sim, um grande investimento de recursos inicialmente — acabaria por ser uma economia.

6. Alterações nos formatos de frete

No segmento de transporte, como ocorre também em muitos outros, não é incomum que haja uma ampliação do campo de atuação com o passar do tempo, de modo que o gestor da frota se depare com a necessidade de tentar trabalhar, por exemplo, com outros tipos de carga.

Isso, porém, pode demandar mais trabalho dos veículos, cargas com pesos superiores, até que a frota esteja preparada para atender as peculiaridades de determinadas mercadorias, como cargas vivas ou refrigeradas.

Essa possibilidade de tornar mais ampla a prestação de serviços e de obter melhores ganhos também é um dos sinais para trocar o caminhão, a fim de não impedir o crescimento da empresa.

Como visto, a troca da frota de veículos de uma companhia pode trazer inúmeros benefícios às operações. Entretanto, em razão de essa substituição representar inegavelmente um alto investimento, é fundamental haver todo um planejamento para tanto, levando em consideração não apenas o orçamento disponível, mas as necessidades da corporação e as projeções de crescimento e expansão dos serviços prestados para os próximos anos.

Além disso, mais um fator indispensável é contar com parceiros confiáveis para a busca das melhores soluções para um transporte sustentável, conectado e inteligente. 

Se você, gestor de frota, já identificou algum dos sinais para trocar de caminhão e está em busca de mais informações, aproveite para fazer um orçamento e conhecer a Nova Geração SCANIA!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.