O que é tacógrafo e como funciona esse instrumento?

7 minutos para ler
spotify scania

Quem trabalha com frota, sabe que há alguns equipamentos que são exigidos pela legislação brasileira, sendo que um deles é conhecido como tacógrafo de ônibus e caminhões. A utilização desse produto é importante tanto na jornada dos motoristas, como também no transporte de cargas, contribuindo para um serviço mais equilibrado e com segurança.

A empresa que trabalha com logística de transporte e deseja se destacar no mercado, precisa conhecer detalhes sobre a utilização e funcionamento desse equipamento, para seguir as determinações legais e ter diferenciais diante da concorrência.

Porém, sabemos que com a correria do dia a dia, nem sempre é possível obter detalhes sobre o tacógrafo. Por isso, preparamos este post para que você conheça as principais informações sobre esse instrumento, a fim de aperfeiçoar seus conhecimentos e evitar penalizações. Acompanhe!

O que é tacógrafo de ônibus e para que serve?

Esse é um instrumento utilizado nos veículos que registra a distância e velocidade percorrida em relação ao tempo de uso. O tacógrafo também monitora outros parâmetros das rotas realizadas durante a viagem, como tempo gasto nas paradas, tempo de horas trabalhadas. Assim, quando instalado no interior do veículo, todos os dados são registrados de maneira individualizada, para que posteriormente possa ser consultado.

O principal objetivo do uso desse equipamento é garantir que o motorista não esteja dirigindo acima da velocidade permitida e está em conformidade com o que está estabelecida na Lei do Motorista. Caso, em um determinado trecho em que o limite de velocidade for 50 km/h e o ônibus ou caminhão percorrer a 80 km/h, o tacógrafo vai registrar essa infração, podendo ser comprovado mesmo depois do ocorrido.

Como um tacógrafo funciona?

O funcionamento do tacógrafo é simples. Para isso, é preciso instalar o equipamento à saída do câmbio, conforme as condições da viagem, a sua tecnologia eficiente registra todas as informações ao pressionar o papel em formato de disco. Esse papel é conhecido como disco diagrama, que fica dentro do tacógrafo.

O uso do tacógrafo em território nacional é estabelecido pela Resolução Nº 14/1998. Conforme a lei, alguns veículos devem instalar o instrumento para que possa transitar em vias públicas. Entre os veículos, estão:

  • transporte de passageiros com mais de dez lugares;
  • transporte e condução escolares;
  • veículos de carga com peso bruto total superior a 4.536 kg, fabricados a partir de 1º de janeiro de 1999;
  • veículos de carga com capacidade máxima de tração superior a 19t.

Dessa forma, esse é um equipamento de uso obrigatório tanto para ônibus quanto para caminhões, de acordo com a Resolução do Contran e do Código de Trânsito Brasileiro.

Quais são os registros feitos por meio desse instrumento?

O tacógrafo de ônibus e caminhão registra e aponta de modo simultâneo e inalterado a distância e a velocidade que o veículo movimentou-se em um determinado espaço de tempo. Assim, o dispositivo auxilia na identificação de dados importantes, como:

  • tempo em paradas e intervalos;
  • horas trabalhadas pelo motorista;
  • velocidade média do veículo.

Além disso, há um local específico no centro do tacógrafo que permite obter algumas informações essenciais, como:

  • data, local de início e término do percurso;
  • nome do condutor;
  • início e fim da indicação do hodômetro;
  • número da portaria de aprovação do modelo do equipamento;
  • identificação do veículo.

Quais os tipos que existem?

No mercado existem três tipos de tacógrafo de ônibus e caminhões, como o eletrônico, digital e analógico. A seguir entenda as características e funcionamento de cada instrumento.

Tacógrafo eletrônico – o aparelho é um pouco menor e para os discos diagramas são enviados sinais para registrar os dados da viagem.

Tacógrafo analógico – devido o preço mais acessível, o modelo analógico é o tipo mais comum. Os dados sobre a jornada são registrados no disco, sendo que no centro permanecem as informações referentes ao motorista, como local de partida e chegada, placa e data. Desse modo, a interpretação é realizada por meio de softwares que emitem o relatório do veículo.

Tacógrafo digital – similar ao modelo analógico, mas o tacógrafo digital tem uma maior capacidade para registrar as informações quando comparado com os outros modelos, incluindo o uso do cinto de segurança e limite de velocidade em chuva. Os dados são mantidos em um papel, parecido com uma nota fiscal, onde são impressos quando solicitado. Contudo, acaba sendo o menos usado devido ser um modelo mais caro.

Qual a importância de usar esse instrumento?

Devido o registro de informações, o uso do tacógrafo de ônibus e caminhão torna-se um instrumento de muita importância, principalmente para as os gestores de frota que usam o aparelho para garantir que o motorista está conforme as condições definidas pela legislação.

 Além disso, o uso desse equipamento pode evitar diversas situações desagradáveis, como altas velocidades, consumo excessivo de combustível, danos à carga, acidentes e multas de trânsito. Ao evitar esses fatores, a empresa consegue uma maior economia, pois dificulta a geração de mais gastos.

Além disso, por meio do tacógrafo é possível identificar os motoristas que estão realizando um trabalho seguro e confiável, e aqueles que estão trazendo prejuízos para a empresa, permitindo selecionar os profissionais mais qualificados e responsáveis.

Já para os condutores, o uso do equipamento possibilita registrar as informações como testemunho e provas, como no caso de acidentes, multas indevidas e horas de trabalho excessivas. Assim, tanto a empresa quanto os motoristas acabam ganhando com o uso do tacógrafo nos serviços mais transparente.

O que considerar para escolher o tipo de tacógrafo ideal?

Para escolher o tipo ideal, além de monitorar e registrar as informações, o tacógrafo deve apresentar praticidade e agilidade, a fim de conseguir obter desde as informações básicas até as mais detalhadas e completas.

Contudo, a mais alta tecnologia do modelo ideal pode trazer um investimento alto, sendo necessário que a empresa analise suas necessidades e custo-benefício para manter-se dentro da lei e evitar prejuízos.

Quais os riscos de não ter tacógrafo?

Um dos maiores riscos de não utilizar o equipamento no veículo é a penalização por multa, pois o tacógrafo é de uso obrigatório. Desse modo, durante um trajeto a Polícia Rodoviária pode requerer a análise do dispositivo e, caso haja alguma irregularidade, a empresa e o motorista podem ser penalizados. A multa é extensiva para as seguintes situações:

  • ausência do equipamento por qualquer razão;
  • adulteração nos resultados das medições;
  • não uso do dispositivo.

Assim, a empresa é obrigada a desembolsar dinheiro e o condutor perde pontos na CNH. No entanto, além da multa há outros riscos quando o tacógrafo não é usado, especialmente se o motorista estiver dirigindo em alta velocidade, as consequências são:

  • aumento do índice de perda da mercadoria e danos à carga;
  • maior índice de acidentes e mortes no trânsito;
  • elevada possibilidade de perigo ao condutor, caminhão, carga e a terceiros.

Por isso, embora inicialmente o uso do tacógrafo de ônibus e caminhão possa ser um investimento maior, em longo prazo o equipamento pode ajudar a diminuir os riscos e gerar economia nos custos operacionais da empresa. Além disso, optar por priorizar qualidade, bom atendimento, segurança e rapidez, e ainda seguir as leis, mantém a instituição competitiva e apta a conquistar novos clientes.

Nosso artigo trouxe informações importantes para você? Então siga-nos em nossa página no Facebook da Cavese, Codema e Suvesa, e fique por dentro de conteúdos valiosos como esse!

 

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.