Troca de peças de caminhão: quais devem ser trocadas periodicamente?

7 minutos para ler

No Brasil, caminhões de carga passam a maior parte do tempo nas estradas, percorrendo grandes quilometragens na extensa malha rodoviária. Para garantir que tudo funcione perfeitamente, é preciso respeitar o cronograma de revisões, realizar ajustes pontuais ou fazer a troca de peças deterioradas. Isso é essencial para evitar panes completas, bem como economizar e ter tranquilidade durante as viagens.

Gastar com manutenção preventiva é sinônimo de investimento, afinal, as despesas com o veículo diminuem quando esse procedimento é realizado. A prática também evita que a máquina pare no meio do caminho, seja por acidente ou falha generalizada, seja por motivos de fiscalização.

Pensando nisso, criamos este post para falar sobre a troca de peças de caminhão. Descubra agora quais são as mais importantes e quais devem ser substituídas periodicamente!

Motor

Na verdade, o motor não deve ser trocado com frequência (pois é muito caro), mas avaliado de forma contínua. Por ser o coração do veículo, ele merece total atenção.

Se o sistema de motorização apresentar alguma pane durante o trajeto, o motorista corre o risco de ficar desamparado no meio da estrada. Portanto, é fundamental vistoriá-lo antes e durante o percurso.

Diversas partes do motor precisam ser checadas, como injeção de combustível, partida, nível de torque (força) etc. Caso a performance esteja muito baixa, pode ser que ele “beba” mais diesel que o normal ou acabe travando ao transportar mercadorias pesadas.

Suspensão

Assim como o motor, a suspensão de um veículo de carga deve ser bastante resistente. Isso porque, se houver alguma falha que cause oscilação nas curvas, por exemplo, a probabilidade de um acidente grave ocorrer aumenta.

Inspecionar desgastes de componentes, como amortecedores e buchas, deve virar um hábito. Se esses itens estiverem muito deteriorados, troque-os imediatamente. Se for o caso, utilize outro caminhão enquanto aguarda o conserto — é melhor que colocar sua segurança em risco ou perder a carga e a máquina.

Embreagem

Quanto mais peso for transportado, maior será o desgaste da embreagem. Portanto, nos caminhões esse conjunto pode manifestar problemas com certa frequência.

Quando o pedal é pressionado, por exemplo, o disco da embreagem se afasta do disco do motor para permitir a troca de velocidade. Mas por ser uma peça que funciona por meio de atritos e sofre com temperaturas altas, ela se desgasta muito rápido.

Quando isso ocorre, diversos componentes do sistema podem ser arruinados. Ou seja, quando o engate de marchas fica comprometido, a caixa de câmbio sofre prejuízos contínuos. Isso exige a troca de todo o sistema (não somente o disco e o platô), aumentando os custos de reparo.

Freios

Essa é outra peça indispensável para a segurança do caminhoneiro e do veículo. Os freios precisam ser eficientes porque o peso do caminhão torna a frenagem mais difícil. Se eles estiverem muito gastos, acidentes graves podem acontecer.

Portanto, teste e arrume qualquer falha nesse sistema. Se for preciso, troque o conjunto de freios (pinças, buchas, modulador de frenagem, regulador de pressão, sapatas etc.) antes da viagem. É melhor aguardar um tempo para pegar a estrada com segurança em vez de se apressar e correr esse tipo de risco.

Pneus

É comum se deparar com as famosas “cascas” de borracha nas bordas da rodovia. Isso mostra que os pneus merecem atenção e devem fazer parte da lista de componentes que demandam trocas periódicas.

As causas de deterioração acelerada são diversas. Negligências, como excesso de carga, realização de curvas em alta velocidade, calibragem incorreta e impactos com obstáculos (buracos e desníveis) são alguns dos motivos mais comuns para o problema.

Outro detalhe que pode prejudicar os pneus é a deterioração natural. Em alguns casos, por estarem entre os itens mais caros em manutenção, é comum que tenham seu uso prolongado. O problema é que essa prática aumenta significativamente as chances de alguma dessas peças estourar ou furar durante as viagens.

Paletas do limpador

Esses acessórios são indispensáveis para garantir a visibilidade em dias de chuva. No entanto, eles deformam e ressecam por causa da falta de uso e devido ao contato direto com o sol, o que exige trocas periódicas.

Jamais deixe que as paletas do limpador sejam utilizadas em condições precárias. Isso pode causar riscos irreparáveis no vidro do para-brisa — componente bastante caro para trocar em um veículo.

Faróis e luzes

Os faróis costumam apresentar defeitos com bastante frequência, mas todo o conjunto de iluminação do caminhão merece ser vistoriado.

O principal motivo para esse tipo de problema é a má conservação das estradas brasileiras. O excesso de ondulações e buracos faz com que esses componentes vibrem muito ao longo do trajeto, forçando trocas antecipadas.

Mesmo que a suspensão consiga amenizar as trepidações, nem sempre será capaz de evitar que os filamentos das lâmpadas arrebentem ou que os plugues de faróis e lanternas se desconectem, parando de iluminar a estrada.

Vale citar que falhas nesse sistema podem estar relacionadas à parte elétrica, em itens como bobina, alternador, cabos ou até na bateria, que pode apresentar acúmulo de zinabre (crosta esverdeada que surge nos terminais) e comprometer a eficiência elétrica de todo o sistema.

Felizmente, esse tipo de problema pode ser resolvido com soluções simples. Porém, dependendo do momento em que um farol não acende, os riscos podem ser grandes, o que impede o motorista de seguir viagem à noite, por exemplo.

Além disso, vale considerar a lei de trânsito, pois apenas uma lanterna apagada pode ocasionar uma infração com multa.

Caminhão enfraquecido

Esse sinal indica que a vida útil do caminhão está perto do fim. Se mesmo com as manutenções preventivas o rendimento da máquina — no que se refere ao consumo exagerado de diesel e pouca força de deslocamento — tem reduzido muito, significa que chegou o momento de trocá-la.

Esse problema deve ser investigado, já que pode estar relacionado a diversos outros fatores além da durabilidade, como o modelo do veículo, uso de peças paralelas ou consumo de combustível adulterado.

Nesse caso, é preciso fazer uma avaliação minuciosa para constatar se é realmente o período de uso do caminhão que está afetando sua performance. Para viajar com segurança é necessário que o torque (força gerada pelo motor) responda à aceleração e seja capaz de subir uma serra ou de fazer uma ultrapassagem.

Verificar e trocar os filtros e mangueiras, avaliar os módulos de injeção, abastecer com diesel de boa procedência, tudo isso deve ser feito antes de pegar a estrada. Quanto às substituições de componentes, o ideal é que sejam feitas em concessionárias especializadas.

Esperamos ter ajudado você a compreender mais sobre a troca de peças de caminhão. Para evitar problemas, siga o cronograma de revisões e substitua os itens que estiverem prestes a falhar. Assim, conservará seu veículo por mais tempo e não terá de gastar rios de dinheiro com manutenções corretivas.

E então, gostou deste conteúdo? Que tal aprender um pouco mais sobre a conservação de veículos de carga? Tire agora as suas principais dúvidas sobre limpeza de caminhão!

Você também pode gostar

Deixe um comentário